Indústria 4.0 a revolução que está acontecendo no momento

Fonte na imagem, endereço no Pinterest: https://images.endeavor.org.br/uploads/2017/08/Infografico-Industria-01-1.png

Marcada pela completa descentralização do controle dos processos produtivos e uma proliferação de dispositivos inteligentes interconectados, esse movimento deixa de ser tendência do futuro se tornando um diferencial no mundo dos negócios. Carregando consigo oportunidades em áreas como: internet dos negócios, produção autônoma e manufatura aditiva.

Quais os principais impactos dessa revolução?

  • Crescimento da produtividade por intermédio da otimização e automação.
  • Integração; os produtos tornam-se conectados através de uma rede digital, como aconteceu com a televisão, carro, geladeira, celular, relógio e outros. A Digitalização dos produtos em um ecossistema interconectado é uma realidade presente nos dias de hoje.
  • A coleta de dados realizada de maneira automática pelos novos sistemas presentes em diversos produtos é usada como base de análise para desenvolver os novos produtos, que já vem com inovações e soluções na medida certa para seu público. Hoje todos esses produtos conectados geram dados sobre seus usos, o que possibilita um estudo dinâmico e eficaz dos hábitos e comportamentos da sociedade. Os dados gerados sobre o modo como se dirige um carro, assiste televisão, se exercita e até como se dorme, moldam produtos que ainda serão desenvolvidos em cada um desses segmentos.
  • Antecipar adversidades e evita-las antes de acontecerem, através de sensores instalados nas fábricas e de avaliações realizadas instantaneamente, possibilitam fazer a manutenção preditiva dos aparelhos em uma linha de produção, em setores de distribuição entre outros.

Quais os setores mais promissores?

Indústria farmacêutica – Existe espaço para o desenvolvimento de tecnologias de análise que otimizem processos que atualmente ainda são manuais, como: o processo de controle de qualidade, análise de riscos e investigação de desvios. A automatização destes contribuirá para um menor consumo na quantidade de reagentes, redução de mão de obra e outros recursos. Existe atual necessidade de melhorar os métodos de controle de qualidade e o gerenciamento das atividades da linha de produção desse setor.

Indústria de alimentos – Sua maior carência está no rastreamento dos produtos para os consumidores. A transparência deve ser incrementada com dados sobre toda cadeia produtiva, otimizando o fluxo de informações que chega até o cliente, deixando-as acessíveis. O acesso a informações referentes à origem, métodos de produção, transporte e conservação, tem sido cada vez mais valorizados pelo público e podem vir a ser um diferencial no momento da decisão de compra, o que impacta intensamente empresas que investem em procedimentos e seleção de matérias-primas que respeitam o meio ambiente.

Energia – A meta de economizar recursos energéticos na produção em escala, não só através do controle dos processos, como também na escolha da fonte de energia, já é um conceito claro para todos. Assim o uso de fontes alternativas de forma inteligente é um atrativo para industriais e para isso existe a necessidade de sistemas que controlem e identifiquem a viabilização dessas opções de modo que sustentem a necessidade energética da indústria.

Agroindústria – Incrementando o Big Data e a internet das coisas, associado com equipamentos e sensores mais aprimorados, viabilizam-se ganhos nos quesitos de produtividade e sustentabilidade. Uma alternativa ainda menos explorada nesse setor é o crescimento da bioeconomia, fundamentada nos recursos biológicos e sustentáveis, por meio de processos limpos e renováveis.

Indústria de construção civil – Um setor que possui uma complexidade muito grande de demandas e funções e que abre um leque imenso de possibilidades de crescimento tecnológico para suprir carências nas áreas de: Novos materiais de construção; Pesquisas e geolocalização de alta definição; Internet das coisas e análise avançada; Modelagem de Informações de Construção (BIM) em 5-D; Colaboração digital e mobilidade.

Distribuição e logística. Hoje a distribuição não se comporta mais como um commodity. Através de melhorias o mercado disputa preços fornecendo um serviço diferenciado. Um caso muito conhecido é o da Amazon que, em 2013, realizou experimentos de entregas por meio de drones. Outra inovação que vem se consolidando no setor é a formação de redes interligadas de parceiros, extinguindo a dependência de fronteiras geográficas para realizar suas operações de vendas e entregas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *